Banco é multado por desrespeitar deficiente físico Destaque

Banco que impede o acesso de portador de prótese, expondo-o a constrangimentos, extrapola os limites do direito à segurança. Logo, tem o dever de indenizá-lo por danos morais. Foi o que decidiu, por unanimidade, a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, ao dar provimento à apelação de um deficiente físico, contra sentença de primeira instância que favoreceu o Banrisul. O julgamento aconteceu no dia 2 de março, com a presença dos desembargadores Tasso Caubi Soares Delabary, Leonel Pires Ohlweiler e Marilene Bonzanini Bernardi (relatora). Cabe recurso.

Conforme relata a sentença, o cliente, deficiente físico por paralisia infantil, dirigiu-se à agência bancária no dia 4 de fevereiro de 2009, munido de contas a pagar. Quando tentou passar pela porta giratória, esta travou. Então, um funcionário da agência chamou a gerente e explicou sua deficiência. Ele usava aparelho ortopédico de aço inox nos membros inferiores. Apesar de ciente do caso, a gerente não o liberou para ingressar no banco. O cliente, então, chamou a Brigada Militar (a Polícia Militar gaúcha). A gerente apareceu novamente, informando-o que, se quisesse pagar suas contas, deveria entregá-las a um funcionário da agência – eis que seria impossível seu acesso ao interior do local. Inconformado com o desrespeito, o cliente ingressou com ação judicial, pleiteando indenização por danos morais, em valores ao livre arbítrio do julgador.

Citado, o banco apresentou contestação, discorrendo sobre a necessidade de possuir portas giratórias em estabelecimentos bancários. Mencionou que o autor deu dimensão desmesurada ao caso, sustentando a inexistência de danos morais. Realizada audiência de instrução e julgamento, foi proposta a conciliação, que não teve acolhida. Sobreveio, então, a sentença da juíza de Direito Patrícia Hocheim Thomé: pedido improcedente. Inconformado, o deficiente interpôs recurso de apelação ao TJ-RS.

Em suas razões recursais, voltou a repisar o argumento de que o veto à entrada no estabelecimento bancários lhe causou grande constrangimento. Disse que identificou-se como deficiente físico e que esta condição é visível, pois só pode locomover-se com muletas. Mesmo assim, teve o acesso negado. Ressaltou que a prova testemunhal vai ao encontro de suas alegações, tendo sido o autor, na ocasião, indicado como pessoa perigosa. Apontou dois argumentos à existência de danos morais: o impedimento de acesso a agência bancária e a humilhação sofrida em decorrência das atitudes da gerente, que somente voltou a dar atenção ao autor devido à presença de um policial militar. Sustentou que a culpain eligendo do apelado está caracterizada pela conduta imprópria e discriminatória de sua funcionária. Por fim, afirmou que a exigência feita ao apelante, para que entregasse as contas a um funcionário para que efetuasse o pagamento, revela má-fé da ré.

A relatora do recurso, desembargadora Marilene Bonzanini Bernardi, iniciou seu voto pontuando que o caso é peculiar e merece atenção, tendo em vista que o autor usa aparelho ortopédico de aço inox nos membros inferiores. Na visão da julgadora, ‘‘os funcionários da ré deveriam ser, ao menos, mais habilidosos para contornar situações como estas, a fim de que deixassem de transformar o que poderia ser um simples contratempo em fonte de vexame e vergonha, passíveis de indenização’’.

Neste sentido, a desembargadora entendeu que os prepostos do banco exorbitaram no seu dever de zelar pela segurança do local, expondo o autor a constrangimento indevido, razão pela qual merece ser condenado ao pagamento de indenização por danos morais.

Lembrou que a fixação do quantum indenizatório deve ser compatível com a reprovabilidade da conduta, levando-se em conta dois aspectos: a reparação e a repreensão. Valor arbitrado: R$ 8 mil, ‘‘montante que certamente satisfaz ao caráter reparatório, servindo, ainda, como expiação à ré’’.

Última modificação em Terça, 26 Abril 2011 01:33

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixar seu comentário

Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location

Usuário conectado

Temos 230 visitantes e Nenhum membro online


Notice: Undefined index: nsp_pre_text in /home/pcd/public_html/modules/mod_news_pro_gk5/tmpl/default.php on line 27

Deficiência física não im…

Apesar de alguns avanços rumo à plena liberdade de acesso para os deficientes físicos aos pontos turísticos, o turismo para todos ainda é uma questão em processo, que enfrenta muitas...

Deficiência mental quase …

Agudos - Uma pesquisa desenvolvida pela Faculdade de Serviço Social da Instituição Toledo de Ensino (ITE) de Bauru em Agudos, a pedido da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais...

Mudanças são repassadas a…

A Secretaria de Estado da Educação por meio da Divisão de Educação Especial promoveu na manhã de quinta-feira, 19, no Palácio da Cultura a primeira reunião de trabalho para tratar...

Área automotiva admite ma…

  O setor automotivo é a área da indústria que mais recruta pessoas com deficiência no Estado. Entre as empresas  com mais 100 funcionários, o segmento absorveu 18,3% dos deficientes em...

Deficientes vão às urnas…

Moradores de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com deficiência física ou alguma limitação devido a problemas de saúde tiveram dificuldades ou não conseguiram votar na eleição deste domingo (7). Com insuficiência...

Mergulhar sem os devidos …

Um forte impacto na cabeça pode ser transmitido para coluna cervical e acabar provocando lesões neurológicas, levando à perda de movimentos; conheça a história de Guilherme e João Maurício, que...

Teresina receberá exposiç…

Teresina receberá no período de 11 a 28 de novembro a exposição "Para Todos: o movimento políticos das pessoas com deficiência", no horário de 8h às 14h, na Praça do...

Ex-cobrador supera defici…

O ex-cobrador de ônibus, Célio Corte, de 38 anos, recebeu na manhã desta terça-feira (13), o seu decreto de nomeação para o cargo de professor de História, na rede pública...

SED capacita em Educação …

A Secretaria de Estado de Educação (SED) realiza nos meses de novembro e dezembro a Formação Continuada de Técnicos da Educação Especial em Deficiência Mental com o objetivo de oferecer...

Deficiente que não dirige…

O fato de deficiente físico não poder dirigir não lhe retira o direito de ter isenção de ICMS na compra de veículo. O entendimento é da 21ª Câmara Cível do...


Notice: Undefined index: nsp_post_text in /home/pcd/public_html/modules/mod_news_pro_gk5/tmpl/default.php on line 165

Comentários

minha esposa tirou todos os documentos para o pcd, mas as concessionárias estão enrolando desde no...
em EasyBlog 18-01-2015 01:58
Existem muitos portadores de deficiência física capacitados e preparados para o mercado de trabalh...
em EasyBlog 14-01-2014 20:13
Porque as montadoras já não vendem os carros adaptados?
em EasyBlog 03-05-2012 00:16
Ficamos muito feliz com a noticia, mas acho que não entendi, os deficientes mais severos ganharão ...
em EasyBlog 02-05-2012 18:29
Oi Vilminha quem nao é condutor pode comprar carro com isençao de IPI e tens q idincar 3 condutore...
em EasyBlog 26-04-2012 18:35

Últimos foruns

  • Não há postagem a mostrar
Topo