Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Apesar de poucas pessoas saberem que colocar as mãos espalmadas três vezes uma sobre a outra significa inclusão na Língua Brasileira de Sinais (Libras), foi exatamente isso que a ex-aluna do curso de Engenharia de Computação da Veris Faculdades, Noelle Nascimento Buffa Furtado fez, ao desenvolver um software inédito no mercado que converte a fala e escrita em português para Libras. Até hoje, apenas a ferramenta Rybená disponibiliza um recurso parecido, porém só para textos selecionados de páginas da Internet e não utiliza o recurso de voz.
Segundo o Censo do IBGE (2000), no Brasil existem aproximadamente 5,8 milhões de surdos, sendo que 30% desse montante não sabem ler o português. O restante (70%) até sabe ler, mas não têm entendimento claro da língua portuguesa.

O software VE-LIBRAS, como é chamado, ainda é um protótipo, mas deverá diminuir drasticamente essas barreiras de comunicação e proporcionar mais acessibilidade para a comunidade surda, quando finalmente chegar ao mercado. "O objetivo é tornar mais acessível a Libras e facilitar a comunicação entre essas pessoas. Um pai, por exemplo, poderá conversar com seu filho através deste software mesmo que não tenha domínio da língua de sinais. O mesmo vale para as salas de aula", disse Noelle.

De acordo com a engenheira de computação, o programa funciona de forma simples: o software grava o som de uma pessoa falando na língua portuguesa e, mediante a um processo de reconhecimento de voz, torna possível a conversão da fala em texto. Através do Rybená (tradutor de textos em português para Libras), esse texto é traduzido para a língua de sinais. "Qualquer pessoa que tenha um computador com acesso a Internet e esse software instalado consegue utilizá-lo. Infelizmente, o software ainda não está disponível para comercialização, porque não consegui patrocínio viabilização do projeto, mas o protótipo está em uso e, até agora, só apresentou erros mínimos de tradução", explicou.

Ideia
Noelle, que não tem ninguém na família que tenha deficiência auditiva, afirmou que resolveu desenvolver o programa ao assistir um culto numa igreja. "Vi que tinham muitos intérpretes na igreja, mas às vezes eles ficavam cansados ou não conseguiam traduzir tudo. Com o software isso facilitaria muito", ressaltou.

Para o coordenador do curso de Engenharia de Computação da Veris, Cláudio Umezu, essa inventividade aliada à inovação com a competência técnica, na busca de soluções para problemas reais, é extremamente válida para beneficiar a sociedade de uma forma geral. "O uso de ferramentas de computação e informática para a redução de barreiras de comunicação, como no caso deste trabalho que visa a deficientes visuais, é um grande avanço tecnológico e deve receber todo o apoio para que se transforme em uma realidade", ressaltou o professor, responsável também pela orientação deste projeto.

Sobre a Veris Faculdades
Parte do Grupo Ibmec Educacional, que opera no setor há mais de três décadas, a Veris Faculdades conta com unidades em São Paulo, Campinas, São José dos Campos e Sorocaba. Aliando formação de alta qualidade e conteúdos aplicáveis e atualizados de acordo com as necessidades do mercado de trabalho, oferece cursos de graduação (licenciatura, bacharelado e tecnólogo), pós-graduação e de curta duração

 

Comentários (0)

Classificado 0 em 5 com base em 0 votos
Ainda não há comentários publicados aqui

Deixe seus comentários

  1. Publicar comentário como convidado.
Rate this post:
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Digite o texto apresentado na imagem abaixo