Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A abertura da segunda edição do "Programa Febraban de Capacitação Profissional e Inclusão de Pessoas com Deficiência no Setor Bancário - Transformando Obstáculos em Oportunidades" ocorreu na terça, dia 4 de abril. A primeira edição desse Programa, lançada em 2009, capacitou mais de 700 pessoas com deficiência, todas com

emprego certo no setor bancário. Neste ano, 444 candidatos foram selecionados para receber qualificação e já ingressar no mercado de trabalho. O lançamento deste ano teve um brilho especial, além da nobreza do propósito de capacitar centenas de pessoas com deficiência: um vídeo com a magistral execução do Hino Nacional pelo maestro João Carlos Martins, o campeão do carnaval paulista deste ano.

 

E como o clima era de festa, as autoridades presentes mantiveram a alegria. O secretário Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Marco Antonio Belizário justificou o atraso pela "calorosa recepção de café com bolo" oferecido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e também à proximidade de sua casa com o estádio do Corinthians, que empatou na véspera. "Quanto o timão empata, empata a cidade", brincou, referindo-se ao trânsito. E como o evento denotava compromisso, ele finalizou ressaltando as importantes parcerias das duas Secretarias com bancos, empresas privadas, sindicatos e organizações não governamentais voltadas à capacitação e inclusão social das pessoas com deficiência.

A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, representou o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. Ela lembrou que a forma notável como a Febraban abraçou a questão da qualificação e a inclusão social das pessoas com deficiência no mercado de trabalho. "Em 2008, nós tivemos uma solenidade importantíssima também patrocinada pela Febraban. Foi uma primeira tentativa de participação profissional associada a uma série de entidades da sociedade civil e que acabaram resultando nesse programa, agora aprimorado com partes sólidas. A iniciativa tem dado oportunidade para que as pessoas com deficiência efetivamente se qualifiquem e tenham a inclusão social". Para a Secretária, trata-se de um movimento de mão dupla, de qualificação profissional do próprio interessado que é a pessoa com deficiência. Ressaltou a atividade associativa do setor financeiro como sendo de grande impacto, refletindo não apenas no acréscimo do número de vagas que se cria, mas serve como exemplo para outras associações. "É a partir do movimento associativo que podemos fazer a grande transformação da sociedade".

Dra. Linamara enfatizou também a importância da qualificação profissional no ambiente de trabalho como mola propulsora para a inclusão social das pessoas com deficiência. "Qualificar um funcionário a partir da experiência de viver o ambiente de trabalho é um modelo que deu certo, é um modelo descrito na Lei do Aprendiz. Trazer o aprendiz para dentro do ambiente de trabalho ajuda a dar essa qualificação. Esse programa está em sua segunda versão e já mostra um grande sucesso porque o HSBC, o Santander, por exemplo, já cumpriram a sua meta em termos de número de vagas, mas continuam formando mais pessoas. O HSBC se constitui no maior centro de formação de pessoas com deficiência no estado do Paraná, mostrando que é possível aliar o interesse no cumprimento da lei ao interesse da sociedade. Portanto, esse modelo de capacitar, qualificar, dentro da lógica da lei é um sucesso. Qualificar é hoje uma ferramenta fundamental no processo de ingresso, no processo de conquista de seu espaço no mercado de trabalho".

Como não se pode falar em trabalho, empregabilidade e capacitação profissional sem valorizar o uso da tecnologia, a Secretária destacou um outro aspecto igualmente importante da tecnologia". Tecnologia é importante para fazer com que direitos humanos se materializem. Pessoas com e sem deficiência se juntam em torno das tecnologias e podem expressar melhor sua funcionalidade. Nos ensina também, a tecnologia, que precisamos rever os processos de ensino e de aprendizagem. A escola precisa se apropriar de tecnologias para transformar o ambiente escolar em algo mais agradável, é preciso que a saúde use da tecnologia para fazer diagnósticos cada vez mais acertados. Portanto, faz parte dos direitos fundamentais da área da saúde, educação que nós vamos conquistar mais trabalhos com mais qualidade para todos", frisa.

Aliada à tecnologia, a Secretária destacou a importância da solidariedade no processo de inclusão social das pessoas com deficiência. "Não apenas a tecnologia se faz presente, mas é a partir da solidariedade que nós conseguimos vencer os grandes desafios. Essa solidariedade trazida para dentro do ambiente de trabalho tem grande significado na melhora organizacional, na melhora da produção, na conquista de mais espaço dentro da sociedade para todos os cidadãos". Como consequência, a solidariedade gera mais consumidores, transformando a sociedade em uma sociedade sustentável, segundo a Dra. Linamara. "Nós queremos reverter este penoso quadro de muito amparo social para um quadro de muita qualificação e muita produção dentro da sociedade. Uma sociedade que tenha menos tutela e mais participação, mais protagonismo das pessoas com deficiência". E encerrou: "E essa é a sociedade que queremos para nós e nossos filhos. Uma sociedade que se organiza em direção a mais conquistas sociais, que respeita a diversidade e as diferenças, que promove a inclusão. Essa é a sociedade do futuro, uma sociedade sustentável".

O evento contou com cerca de 500 pessoas com e sem deficiência e também com a participação de outras ilustres presenças como o secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, David Zaia, o presidente da Avape - Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência, organização parceira do Programa, Marcos Gonçalves; o deputado federal Antônio José Medeiros; e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, entre outros.